Trapiches

A Portos do Paraná é responsável pelos projetos de construção e reforma de 14 trapiches nas comunidades ilhadas do Litoral paranaense.

O custo estimado é de R$ 10 milhões.

As obras de reformas estão previstas para as comunidades de Amparo, Europinha, Eufrasina, Ilha do Mel (Brasília e Encantadas), Ilha do Teixeira, Piaçaguera, Rocio e Vila Maciel. Novas unidades serão construídas na Ilha dos Valadares e nos municípios de Pontal do Sul e Antonina (Ponta da Pita e Portinho).

O consórcio que venceu a licitação para execução dos projetos é formado pelas empresas EXE e Belov Engenharia, especializadas em obras marítimas e portuárias.
Depois da validação dos projetos por cada comunidade e com a apresentação de todas as licenças necessárias, será licitada a empresa para realização das obras.

EQUILIBRIO: A construção e reforma dos trapiches faz parte do programa de compensação da atividade pesqueira e é um requisito da Licença Ambiental 1144/2016, emitida pelo Ibama para autorizar a dragagem de aprofundamento dos portos de Paranaguá e Antonina. A intenção é minimizar os possíveis danos da atividade portuária nas comunidades afetadas.

Os projetos foram validados por uma comissão formada por representantes de diversos órgãos operacionais e ambientais, incluindo Appa, Ibama, Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Ministério da Pesca, Ministério Público Estadual, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento (Seab), Universidade Federal do Paraná e prefeituras.

 

Trapiche do Rocio