Portos do Paraná abre consulta pública para áreas disponíveis a novos contratos de arrendamento
24/05/2022 - 10:30

A Portos do Paraná abre prazo de consulta pública para a licitação de novos arrendamentos de áreas no Porto de Paranaguá. Localizadas a leste, a PAR14 e a PAR15 são destinadas à movimentação e armazenagem de granéis sólidos vegetais. De quarta-feira (25) até dia 08 de julho, os interessados podem buscar informações e fazer sugestões para aprimoramento do processo.

O prazo de 45 dias, segundo o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, tem por objetivo aprimorar os projetos com o recebimento de contribuições, além de esclarecer quaisquer dúvidas. “Esse período antecede as audiências públicas que também já estão com datas pré-definidas para a primeira semana de julho, nos dias 5 e 6”, afirma.

Essas são, respectivamente, as segunda e terceira audiências públicas de áreas a serem realizadas neste ano. A primeira, no final de março, foi da área PAR09, de 24 mil metros quadrados, voltada para movimentação de granéis sólidos vegetais a oeste do Porto de Paranaguá.

“Nossa expectativa é levar a leilão, ainda neste ano, essas três áreas”, diz o diretor-presidente. Segundo ele, os novos contratos de arrendamento garantem, além da regularização contratual em si, segurança jurídica para novos investimentos.

SAIBA MAIS – As novas convocações – da PAR14 e PAR15 já estão publicadas nos diários oficiais, do Estado e da União, e no site da Portos do Paraná.

Os detalhes sobre as áreas estão disponíveis também nos links da Agência Nacional de Transporte Aquaviário (Antaq), respectivamente PAR 14 e PAR 15.

Serão consideradas pela Comissão de Licitação de Áreas Portuárias (Clap) apenas as contribuições, subsídios e sugestões enviadas até às 23h59 do dia 8 de julho. Essas devem ser feitas, exclusivamente, pelo formulário eletrônico disponível nos links da Antaq acima.

ÁREAS – A PAR14 tem 49.841 metros quadrados e prevê investimento de cerca de R$ 1,2 bilhão. Já com a PAR15, com 38.859 metros quadrados, o investimento previsto é de R$ 656,8 milhões. Ambas são áreas consideradas "brownfield", ou seja, já ocupadas.

Confira no mapa.