Estrutura do porto apoia caminhoneiros no combate à Covid-19
26/03/2020 - 17:15

Os caminhoneiros e trabalhadores portuários que atuam no Porto de Paranaguá são orientados por equipes médicas, que fazem a medição de temperatura, avaliação de sintomas compatíveis com a Covid-19 e o encaminhamento dos casos necessários. Estruturas de atendimento foram montadas no Pátio de Triagem de Caminhões e no acesso ao cais Dom Pedro II.

As equipes, contratadas pela Portos do Paraná, atenderão 24 horas, em turnos, e incluem 14 de técnicos de enfermagem, três de auxiliares administrativos e dois de limpeza hospitalar. A estrutura conta ainda com dois postos médicos e dois postos de enfermagem.

A empresa pública também está adquirindo 20 mil litros de álcool em gel; 144 litros de sabonete antisséptico (usados em ambientes hospitalares); 5 mil pares de luvas; 10 mil unidades extras de máscaras cirúrgicas; 21 tendas e cabines elevadas; 200 metros lineares de grade de isolamento, 32 chuveiros, 60 pias e lava-pés com hipoclorito de sódio.

“Estamos adotando todas as medidas para proteger aqueles que não podem parar porque prestam um serviço essencial para a sociedade brasileira. Não mediremos esforços para combater o coronavírus na nossa comunidade”, destaca o presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

CAMINHONEIROS - Ao chegar no Pátio de Triagem os motoristas terão a temperatura corporal verificada. Os casos superiores a 37,8º serão encaminhados para tendas de atendimento, onde responderão a um questionário sobre sintomas e condições de saúde.

Aqueles considerados assintomáticos, ou com sintomas leves, terão prioridade na descarga e receberão as orientações para retornar aos seus lares. Os que precisarem de atendimento hospitalar serão encaminhados ao Hospital Regional do Litoral. Uma área de isolamento foi preparada para higienização dos caminhões, para estas situações.

Além disso, o Pátio recebeu novos chuveiros e uma estação de higienização de mãos. As áreas de convivência, como mesas e bancos, foram retiradas e as cantinas passam a vender produtos somente pelas janelas. Avisos sonoros e materiais de comunicação foram disponibilizados e conteúdos sobre formas de prevenção são enviados pelo sistema Carga Online, via SMS.

“Desenvolvemos uma grande operação de combate à disseminação do vírus. O objetivo é garantir que quem está entrando no pátio receba o atendimento primário à saúde, sem sobrecarregar o sistema de saúde do Litoral”, explica o diretor de Meio Ambiente da Portos do Paraná, João Paulo Ribeiro Santana.

APROVAÇÃO – Caminhoneiros que estiveram no pátio nesta quinta-feira (26) aprovaram a iniciativa. Paulo Cesar de Oliveira Pereira, que veio de Birigui (SP), se surpreendeu com a ação. “É importante porque andamos pelo País e temos contato com muitas pessoas diferentes, de diversos lugares. É o primeiro porto do Brasil a adotar essas normas.”

O ponta-grossense Emerson de Paula dos Santos mediu a temperatura em menos de 10 segundos, e também disse não ter encontrado este cuidado em outros portos. “É muito positivo, significa respeito e prevenção para o caminhoneiro.”

TRABALHADORES - No cais comercial do Porto de Paranaguá trabalhadores portuários também têm a temperatura aferida. O fluxo de entrada e saída de pedestres tem nova organização e separadores para evitar a proximidade entre as pessoas. Os torniquetes e catracas são limpos com ainda mais frequência e pias móveis foram instaladas na entrada e saída do prédio de credenciamento. Quem vai para a casa também deve passar por uma área de desinfecção dos calçados.

O médico que coordena a ação, Michel Cadenas, reforçou que a apuração de trabalhadores em estado febril ajuda na identificação de casos. “É um sinal de alerta que possibilita o manejo clínico mais adequado do paciente possivelmente infectado. É uma iniciativa importante e em momento oportuno.”

OUTROS LOCAIS - O silo público, o pátio da Vila da Madeira e do Taguaré também receberam lavatórios. Em Antonina, estações de higienização também estão disponíveis.

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias