Notícias

21/09/2012

Universidade desenvolve projeto ambiental no Porto de Paranaguá

Desenvolvido pela UFRJ, programa da SEP faz levantamento de resíduos e fauna nociva

   Uma turma de pesquisadores da Universidade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Paranaguá (Unespar, antes Fafipar) fará o levantamento de todo resíduo sólido, efluentes e fauna nociva da área do Porto de Paranaguá. Esse “recenseamento ambiental” faz parte do Programa de Conformidade do Gerenciamento de Resíduos Sólidos e Efluentes Líquidos nos Portos Brasileiros, financiado pela Secretaria de Portos (SEP), desenvolvido pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – em parceria com as universidades locais - em 22 portos brasileiros.

   A equipe da Unespar, formada por 15 alunos e três professores do curso de Ciências Biológicas, concluiu o treinamento com os coordenadores da UFRJ esta semana, na Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). Agora, eles finalizam o zoneamento e marcação dos pontos com GPS, das áreas da Appa e de 18 empresas arrendatárias.

   “Estamos marcando as áreas que visitaremos para coletar os dados, tentando quantificar o que é produzido de resíduos sólidos e efluentes, assim como os animais nocivos que vivem na área do porto de Paranaguá. Esses pontos serão monitorados durante noves meses”, explica a coordenadora local do projeto, Danyelle Stringari, bióloga da Unespar.

   Para atuar no projeto, a equipe da Unespar recebe um repasse da UFRJ. Além de material permanente (como computadores e GPS), a verba é repassada para os 15 alunos – como bolsas. “Resolvemos encarar esse desafio para ajudar a cidade de Paranaguá e o Porto a melhorar a questão ambiental”, afirma a professora.

   Segundo ela, os dados coletados serão repassados para a UFRJ para, numa segunda e terceira etapas, respectivamente, serem transformados em novo projeto de gestão e em soluções para o porto.

   A atividade foi bem recebida pela Appa que, através do Núcleo Ambiental, tem dado apoio aos pesquisadores da Unespar. “Sabemos que o principal desafio dos portos é a questão ambiental. Temos consciência de que para desenvolver o Porto precisamos também promover a educação ambiental e melhorar a gestão do meio ambiente do entorno. É o que estamos fazendo”, comenta o superintendente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

   Além de colocar os pesquisadores em contato com as empresas, a Appa tem proporcionado o acesso às áreas portuárias e informações. “Com esse trabalho, os alunos ganham experiência em campo e o próprio Porto de Paranaguá ganha melhores soluções ambientais”, conclui.

Programa – Para desenvolver esse programa, a SEP destinou R$ 16 milhões, única verba do PAC 2 destinada à pesquisa. Os pesquisadores da Unespar passaram por três treinamentos, específico para cada área – resíduos sólidos, efluente e fauna nociva. Os treinamentos foram ministrados pela equipe do Programa de Planejamento Energético (PPE) da UFRJ.

   A meta da SEP, com o programa, é identificar todos os resíduos e efluentes gerados nos portos e indicar as boas práticas para a sua gestão, elevando o Brasil a um padrão internacional no cumprimento de normas nas áreas de meio ambiente e vigilância sanitária e agropecuária.

Palestra – O tema Meio Ambiente na Gestão Portuária foi abordado em palestra nesta quinta-feira (20), na sala do Conselho de Autoridade Portuária (CAP), na Appa. A palestrante foi Cláudia Della Piazza Grossi, mestre em Arquitetura e Urbanismo, com foco em gestão ambiental. Ela já trabalhou no Ministério do Meio Ambiente e hoje presta consultoria. A atividade foi uma iniciativa em parceria entre a Appa, o CAP, o TCP e a Capitania dos Portos. Além dos conselheiros, participaram representantes do Núcleo Ambiental da Appa e o Comandante da Capitania, José Henrique Corbage Rabello.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.