Notícias

31/01/2018

Um dos maiores rebocadores já fabricados no Brasil começa a operar em Paranaguá

O Porto de Paranaguá acaba de receber um dos maiores rebocadores já fabricados no Brasil. Com 32 metros de comprimento, 12 metros de largura (boca), o rebocador Starnav Sirius foi construído em Itajaí e tem capacidade para realizar manobras de atracação e desatracação de navios carregados com mais de 70 mil toneladas. A embarcação foi construída pela empresa Starnav e está sendo operada pela Camorim. O investimento é de  R$ 25 milhões.

Segundo Helton Farias, representante da Camorim Serviços Marítimos, a empresa apostou em Paranaguá devido aos avanços em infraestrutura marítima, que estão permitindo a programação de navios cada vez maiores no porto paranaense. “Acompanhamos nos últimos anos o crescimento do Porto na movimentação de cargas e na melhoria da infraestrutura. Isso fez com que apostássemos em Paranaguá para atender as maiores embarcações que atracam na costa brasileira e que atualmente estão aqui”, afirmou Farias. Ele ressalta que para atender grandes embarcações é fundamental o suporte de rebocadores com tecnologia de ponta. “É necessário uma potência superior para rebocar navios maiores e possibilitar o aumento no escoamento da produção”, completou.

EMERGÊNCIAS - Outra característica importante da embarcação é a possibilidade para atendimento em caso de emergências ambientais. O rebocador Starnav Sirius, conta com sistema de combate a incêndio, convés preparado para uso de barreiras de contenção e tanque de água com capacidade para 105 mil litros.

“Todos os rebocadores que operam nos portos do Paraná devem ser preparados para o atendimento a emergências, dispor de equipamentos de combate a incêndio e estarem prontos para atender em caso de acidentes”, informa o diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino.

DRAGAGEM – Um dos fatores que contribuíram para que embarcações de grande porte pudessem atracar em Paranaguá foram as campanhas de dragagem.

O diretor-presidente da Appa, Luiz Henrique Dividino, explica que com as novas profundidades obtidas com a dragagem de aprofundamento - 16 metros de profundidade no canal de acesso externo (áreas Alfa) e entre 15 e 14 metros, nos canais de acesso interno (áreas Bravo 1 e Bravo 2) – o Porto está recebendo os maiores navios do mundo, com cerca de 368 metros.

“O Porto de Paranaguá está com canais e berços dragados e preparados para receber embarcações cada vez mais imponentes e carregadas de mercadorias. Toda a estrutura de apoio, de prestadores de serviço à operação portuária, também deve acompanhar esta evolução”, afirma Luiz Henrique Dividino.

Com o aumento da profundidade em 1,5 metro nos berços, cada navio que atraca no Porto de Paranaguá poderá embarcar até 10,5 mil toneladas a mais. Isso representa um aumento mensal, apenas no Corredor de Exportação, de 315 mil toneladas de grãos. Já no Terminal de Contêineres, onde os berços ganharão mais 1,5 metro de profundidade, o ganho será na possibilidade de carregar até 1.050 contêineres por navio.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.