Notícias

27/10/2017

Porto de Paranaguá é palco de simulação de emergência com rebocadores

Uma simulação de emergência a bordo de um dos rebocadores que atuam no Porto de Paranaguá foi feita na quinta-feira (26). O objetivo foi verificar a capacidade de resposta a um acidente envolvendo vítimas dentro da embarcação.

O evento simulou um princípio de incêndio com resgate de vítimas na casa de máquinas de um dos rebocadores da empresa Svitzer, com o objetivo de treinar e preparar as equipes atuantes. Os tripulantes só foram informados sobre a simulação quando a mesma iniciou.

Com foco em prevenção e treinamento, também participaram da ação o Corpo de Bombeiros de Paranaguá, o Órgão Gestor de Mão de Obra (OGMO) e a Guarda Portuária da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa).

“O Porto de Paranaguá está preparado para receber embarcações cada vez maiores e promove treinamentos constantes para testar sua capacidade de atendimento em possíveis emergências”, afirma Luiz Henrique Dividino, diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa).

O SIMULADO - O exercício de emergência simulada, que durou uma hora, contemplou os procedimentos para incêndio e primeiros socorros, incluindo a utilização de equipamentos como extintores e mangueiras, ativação do alarme de emergência e de rádio comunicação com os bombeiros, OGMO, Guarda Portuária da Appa, coordenação local da empresa e outras embarcações. Posteriormente à ação dos quatro tripulantes a bordo, os bombeiros e o OGMO realizaram todos os procedimentos para conter o incêndio simulado e retirar a vítima da embarcação.

“Foi bem produtivo, principalmente para identificarmos acertos e erros, para podermos corrigir e melhorar”, explicou Eneas de Paula, comandante do rebocador há dois anos.

A embarcação envolvida no simulado era o Svitzer Zoe, uma das mais potentes da costa brasileira, com 24 metros de comprimento, 11 metros de largura e tração estática de 62 toneladas.

“Percebemos um alto comprometimento da equipe da Appa e preocupação em preparar todos os envolvidos para situações como esta”, comentou Jorge Magalhães, gerente da Svitzer.

REBOCADORES – Fruto de um investimento de US$ 20 milhões de dólares a empresa Svitzer iniciou em janeiro de 2017 a operação de dois rebocadores no Porto de Paranaguá. O objetivo é suprir, com rapidez e eficiência, a demanda de navios que estão previstos na programação do porto.

Os rebocadores contam com o sistema Fire Fighting 1, o mais moderno no combate a incêndios. Cada embarcação tem dois canhões de água, que podem auxiliar em emergências em terra, em navios e até offshore. As embarcações têm dois tanques, um com água e outro com espuma, cada qual para um tipo de ocorrência.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.