Desafios da logística são debatidos em Ponta Grossa
10/09/2019 - 09:16

Os desafios de infraestrutura e logística no Paraná foram debatidos na noite de segunda-feira (9), no III Fórum Empresarial, promovido pelo Jornal Diário dos Campos, em Ponta Grossa. O evento, realizado junto com a Associação Comercial, Industrial e Empresarial da cidade, reuniu empresários, produtores e cooperativas de toda a região dos Campos Gerais.

As exportações dos grãos produzidos em Ponta Grossa já somaram 1,26 milhão de toneladas via Portos do Paraná, entre janeiro e agosto de 2019. Os graneis que saem da cidade representam 11% do total de soja, milho e farelo produzidos no Estado para exportação.

“A Região dos Campos Gerais é muito importante para o desenvolvimento, geração de emprego e renda no Paraná. Para dar conta da movimentação e fazer com que os produtos cheguem ao destino final, com menos custos para quem produz, é preciso ter logística inteligente, integrando estradas, ferrovias, portos e aeroportos", explicou o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex.

Ponta Grossa deve receber um novo terminal aeroportuário e contar com mais voos. Para as ferrovias, o Governo do Estado já negocia com a empresa Rumo um novo traçado para a linha que liga a cidade à Guarapuava.

“Nas rodovias, estamos nos preparando para um superleilão das concessões de pedágio, ampliando o anel de integração para 4,1 mil km de estradas e ligando todo o Paraná.", adiantou o secretário. 

As obras previstas para os Portos de Paranaguá e Antonina foram apresentadas pelo presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia. “São obras de infraestrutura marítima, acessos terrestres, melhorias e ampliações no cais, além de novos arrendamentos”, disse.

A criação de um banco de projetos, para atender as demandas de todo o Estado, foi tema da palestra do diretor do Departamento de Estradas e Rodagens (DER), Fernando Furiatti Sabóia, que também apresentou um panorama das melhorias em andamento. São previstos R$ 350 milhões em investimentos.

O presidente da Ferroeste, André Luiz Gonçalves, falou dos planos de expansão das linhas ferroviárias, como alternativa para desafogar o tráfego de caminhões e baratear custos de transporte. Atualmente, os Portos do Paraná recebem cerca de 2 mil caminhões por dia.

“Neste ano, os produtos com origem em Ponta Grossa, foram transportados em grande maioria por rodovias. Apenas 32% chegou no Porto de Paranaguá por vagões. Queremos mudar essa realidade e fazer com que essa multimodalidade seja maior", conta.

PONTA GROSSA - Este ano, de janeiro a agosto, foram 15,37 milhões de toneladas de soja, farelo de soja e milho exportados pelos Portos do Paraná. Desse total, 11 milhões de toneladas têm origem em 240 cidades paranaenses.

Somente em Ponta Grossa, foram 1,26 milhão de toneladas. Os principais produtos foram farelo de soja (928.920 toneladas), soja em grão (297.241) e milho (32.799).

GALERIA DE IMAGENS